Avenida Pasteur, nº 154, 12º andar - Botafogo - Rio de Janeiro, RJ, Brasil
+5521991291074

Entenda tudo sobre os ODS e como sua empresa pode se alinhar através da tecnologia de resíduos

O Blog da Polen é um espaço exclusivamente dedicado ao compartilhamento, divulgação e publicação de notícias, artigos, colunas e relatórios sobre o universo dos resíduos sólidos no Brasil e no mundo. Aqui você encontrará conteúdo relevante, escrito por profissionais com experiência e vivência no setor. Dentre as pautas a serem abordadas, estão: guias de boas-práticas na gestão de resíduos; legislação e regulação do setor; novas tecnologias, soluções e aplicações para o reaproveitamento, reuso e reciclagem dos resíduos; economia-circular; logística-reversa e muito mais!

Entenda tudo sobre os ODS e como sua empresa pode se alinhar através da tecnologia de resíduos

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) têm sido muito discutidos e vêm ganhando cada vez mais atenção. Entretanto, é importante relembrar que o desenvolvimento sustentável só é possível ao alinhar as esferas ambiental, social e econômica. Atualmente estamos diante de grandes desafios para que ele ocorra, no entanto, este é um momento de grandes oportunidades.

Mas por quê? Porque, segundo o professor Klaus Schwab (fundador do Fórum Econômico Mundial), quanto mais pensarmos sobre como aproveitar a revolução tecnológica, mais oportunidades teremos para moldar a revolução de uma forma que melhore o estado do mundo.

A inovação tecnológica tem o poder de revolucionar o mercado, contribuindo com várias metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Após ler esse texto, você entenderá o que e quais são esses objetivos, como a tecnologia pode ajudar e qual sua relação com resíduos sólidos.

 

O que são os ODS da ONU

 

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) compõem uma agenda mundial de desenvolvimento, que contempla questões sociais, ambientais e econômicas.

Em setembro de 2015, representantes dos 193 Estados-membros da ONU se reuniram em Nova York e comprometeram-se a tomar medidas ousadas e transformadoras para promover o desenvolvimento sustentável nos próximos 15 anos.

A Agenda 2030 é um plano de ação para as pessoas, o planeta e a prosperidade, que busca fortalecer a paz universal. O plano indica 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, os ODS, e 169 metas, para erradicar a pobreza e promover vida digna para todos, dentro dos limites do planeta

 

Quais são os ODS?

 

Erradicação da pobreza é o primeiro Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

Erradicação da pobreza é o primeiro Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

 

  1. Erradicar a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares.
  2. Erradicar a fome, alcançar a segurança alimentar, melhorar a nutrição e promover a agricultura sustentável.
  3. Garantir o acesso à saúde de qualidade e promover o bem-estar para todos, em todas as idades.
  4. Garantir o acesso à educação inclusiva, de qualidade e equitativa, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos.
  5. Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas.
  6. Garantir a disponibilidade e a gestão sustentável da água potável e do saneamento para todos.
  7. Garantir o acesso a fontes de energia fiáveis, sustentáveis e modernas para todos.
  8. Promover o crescimento econômico inclusivo e sustentável, o emprego pleno e produtivo e o trabalho digno para todos.
  9. Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação.
  10. Reduzir as desigualdades no interior dos países e entre países.
  11. Tornar as cidades e comunidades inclusivas, seguras, resilientes e sustentáveis.
  12. Garantir padrões de consumo e de produção sustentáveis.
  13. Adotar medidas urgentes para combater as alterações climáticas e os seus impactos.
  14. Conservar e usar de forma sustentável os oceanos, mares e os recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.
  15. Proteger, restaurar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, travar e reverter a degradação dos solos e travar a perda de biodiversidade.
  16. Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas a todos os níveis.
  17. Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável.

 

Como chegou-se aos ODS

 

A elaboração dos ODS combinou os processos dos Objetivos do Milênio (agenda 2000-2015) e os processos resultantes da Rio+20.

O foco das discussões da Conferência Rio+20 foi principalmente a economia verde, da erradicação da pobreza e o arcabouço institucional para o desenvolvimento sustentável.

A declaração final da conferência reconheceu que a formulação de metas poderia ser útil para o lançamento de uma ação global coerente e focada no desenvolvimento sustentável. Assim, foram lançadas as bases de um processo intergovernamental abrangente e transparente, aberto a todas as partes interessadas. Essa orientação guiou as ações da comunidade internacional nos três anos seguintes.

Diferentemente do processo dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs), os novos objetivos de desenvolvimento sustentável foram construídos por muitas mãos.

Grupo de Trabalho encarregado da elaboração de uma proposta para os ODS foi composto por 70 países e contou com o envolvimento das mais diversas partes interessadas: desde contribuições especializadas da sociedade civil, até contribuições da comunidade científica e do sistema das Nações Unidas. 

 

Avanços dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

 

A agenda 2000-2015, dos ODMs, impulsionou avanços muito significativos a nível global. Quando assume-se um compromisso público, as chances dos países levarem as metas a sério são muito maiores, pois ninguém quer ficar para trás.

Alguns avanços atingidos pelos ODMs incluem:

  • O número de pessoas que viviam em extrema pobreza diminuiu mais da metade;
  • A proporção de pessoas subnutridas em países em desenvolvimento caiu quase pela metade;
  • A taxa de matrículas no ensino primário nas regiões em desenvolvimento atingiu 91% e muito mais meninas estão na escola se compararmos a 15 anos atrás;
  • Houveram ganhos significativos na luta contra o HIV/AIDS, a malária e a tuberculose;
  • A taxa de mortalidade de menores de cinco anos diminuiu pela metade, e a mortalidade materna caiu para 45% no mundo;
  • A meta de reduzir pela metade a proporção de pessoas que não têm acesso a água potável também foi alcançada;

 

Responsabilidade compartilhada pela nova Agenda 2030

 

Diferentemente da agenda 2000-2015, onde as metas eram muito mais responsabilidade do estado, a nova agenda 2030 é uma responsabilidade compartilhada entre sociedade civil, entes públicos e privados.

Atualmente o UN Global Compact dispõe de uma premiação, a SDG Pionners, que reconhece o trabalho excepcional de líderes empresariais no avanço dos ODS.

O concurso é uma oportunidade desenvolvida pelo Pacto Global para inspirar negócios e potencializar os esforços das empresas signatárias na adesão aos ODS, elevando as práticas da gestão corporativa. O processo de seleção dos SDG Pionners, conduzido pelo UN Global Compact, envolve um comitê de especialistas composto por instituições públicas, privadas e entidades sem fins lucrativos.

A exemplo do reconhecimento internacional, no Brasil a Rede Brasil do Pacto Global lança, este ano (2018), o Prêmio ODS, voltado para a atuação de empresas em esfera nacional. O Prêmio ODS reconhecerá iniciativas de líderes empresariais que estejam incorporando os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável em atividades no país.

Qual o reflexo que uma empresa pode ter em seus ativos ao se comprometer com essa agenda de desenvolvimento sustentável?

Muito para além do marketing verde, estudos relatam que 75% do valor de um produto está em seus ativos intangíveis. O valor dos ativos tangíveis são apenas a ponta do iceberg.

O fato é que os consumidores estão cada vez mais dispostos a pagar por escolhas mais conscientes, por organizações que de fato incorporam a responsabilidade coletiva em sua política.

 

ODS, tecnologia e resíduos sólidos

 

Como dar forma a nova revolução industrial aceitando e incorporando a responsabilidade coletiva, para a criação de um futuro em que a inovação e a tecnologia sirvam às pessoas elevando a população a novos níveis de consciência moral?

Essa indagação do professor Klaus Schwab presente no livro A Quarta Revolução Industrial reafirma a situação presente: essa revolução nos expõe a oportunidades e a dilemas, mas é algo fabricado por nós mesmos e está sob nosso controle. O uso de tecnologias está trazendo muitas soluções para o gerenciamento e uso mais inteligente dos recursos naturais disponíveis em nosso planeta.

Por exemplo, a sociedade atual carrega profundas marcas da negligência com que os resíduos sólidos foram e são tratados, pois desencadeou profundos problemas sociais e ambientais em nosso país. Hoje em dia existem plataformas, como a da Polen, que são utilizadas para a destinação correta dos resíduos e compra de matéria-prima secundária (resíduo reinserido em outra cadeia produtiva). A empresa fornece o Selo Polen, como maneira de comprovar que as empresas aderentes do sistema estão alinhadas aos ODS, no que tange a gestão inteligente de resíduos.

 

Quais ODS são atingidos ao utilizar a plataforma da Polen

 

A transação dos resíduos através de uma plataforma tecnológica, pensada para uma economia circular, vem de encontro com as seguintes metas e seus respectivos objetivos:

 

  • Meta 8.2 (ODS 8): Atingir níveis mais elevados de produtividade das economias por meio da diversificação, modernização tecnológica e inovação, inclusive por meio de um foco em setores de alto valor agregado e dos setores intensivos em mão de obra.
  • Meta 8.4 (ODS 8): Melhorar progressivamente, até 2030, a eficiência dos recursos globais no consumo e na produção, e empenhar-se para dissociar o crescimento econômico da degradação ambiental, de acordo com o Plano Decenal de Programas sobre Produção e Consumo Sustentáveis, com os países desenvolvidos assumindo a liderança.
  • Meta 9.4 (ODS 9): Até 2030, modernizar a infraestrutura e reabilitar as indústrias para torná-las sustentáveis, com eficiência aumentada no uso de recursos e maior adoção de tecnologias e processos industriais limpos e ambientalmente adequados; com todos os países atuando de acordo com suas respectivas capacidades.
  • Meta 11.6 (ODS 11): Até 2030, reduzir o impacto ambiental negativo per capita das cidades, inclusive prestando especial atenção à qualidade do ar, gestão de resíduos municipais e outros.
  • Meta 12.2 (ODS 12): Até 2030, alcançar a gestão sustentável e o uso eficiente dos recursos naturais.
  • Meta 12.4 (ODS 12): Até 2020, alcançar o manejo ambientalmente saudável dos produtos químicos e todos os resíduos, ao longo de todo o ciclo de vida destes, de acordo com os marcos internacionais acordados, e reduzir significativamente a liberação destes para o ar, água e solo, para minimizar seus impactos negativos sobre a saúde humana e o meio ambiente.
  • Meta 12.5 (ODS 12): Até 2030, reduzir substancialmente a geração de resíduos por meio da prevenção, redução, reciclagem e reuso.
  • Meta 12.6 (ODS 12): Incentivar as empresas, especialmente as empresas grandes e transnacionais, a adotar práticas sustentáveis e a integrar informações de sustentabilidade em seu ciclo de relatórios.
  • Meta 14.1 (ODS 14): Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.
  • Meta 15.5 (ODS 15): Tomar medidas urgentes e significativas para reduzir a degradação de habitat naturais, deter a perda de biodiversidade e, até 2020, proteger e evitar a extinção de espécies ameaçadas.

 

Ok, mas de fato como pode ser mensurado o andamento das metas a nível nacional? O IBGE lançou uma plataforma digital que permite acompanhar indicadores da Agenda 2030: nela está o primeiro conjunto de indicadores globais do Brasil para o acompanhamento desses objetivos, com fichas metodológicas, tabelas, gráficos e mapas. 

Os ODS são integrados e indivisíveis, e equilibram as três dimensões do desenvolvimento sustentável: a econômica, a social e a ambiental. Medidas ousadas e transformadoras são urgentemente necessárias para direcionar o mundo para um caminho sustentável e resiliente, mais próspero e seguro para todos os seres vivos.

 

Entendeu o que são os ODS da ONU e sua relação com a gestão de resíduos sólidos? O que achou do texto? Comente abaixo e, caso ainda tenha alguma dúvida, contate um dos consultores Polen no final da página.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *